Agricultura extensiva

Agricultura

Agricultura extensiva

A Agricultura é a arte de cultivar a terra. No período mais primitivo da humanidade, tinha o objectivo de produzir alimento e garantir a sobrevivência dos seres humanos e animais que foram domesticados. Na actualidade, a agricultura ainda tem foco principal na produção de alimentos, mas também serve à indústria, como fornecedora de matéria-prima para a produção de diversos gêneros.

O modo como essa produção é realizada varia de acordo com o lugar, a demanda e os recursos empregados. Quando há um intensivo uso de insumos, tecnologia e mecanização para aumento da produtividade, temos aí a agricultura intensiva, que é uma modalidade agrícola possível onde há expressivo investimento financeiro. Infelizmente, ela não é possível em todos as situações. Quando há uma limitação ou inexistência desses investimentos, temos o oposto, a agricultura extensiva, que conheceremos melhor a partir de agora.

O uso de técnicas rudimentares ou tradicionais é a marca dessa modalidade de produção. A pequena ou nenhuma utilização de insumos e tecnologia é explicada pela ausência de recursos financeiros para esse tipo de investimento.

Não é uma modalidade típica apenas de pequenas propriedades de subsistência. Pode ser encontrada também em grandes lavouras e é comum em países subdesenvolvidos.

Características da Agricultura Extensiva

  • O trabalho é realizado de forma rudimentar e há o emprego de grande quantidade de mão de obra em todas as etapas da produção. A mão de obra é abundante, contudo, geralmente tem baixa qualificação. As etapas não são mecanizadas;
  • As modernas técnicas e tecnologias aplicadas à produção agrícola não são utilizadas nesse sistema agrícola. Por contar com escassos recursos financeiros, os agricultores dessa modalidade não conseguem ter acesso às inovações voltadas à produção agrícola;
  • A preparação do solo é feita de maneira tradicional, sem a utilização de corretores ou fertilizantes. Em muitos casos, para descompactar o solo, é usado o arado de tração animal. As condições do solo são determinantes para a qualidade e quantidade da produção;
  • A seleção de sementes não é empregada. Em virtude do alto custo dessas sementes selecionadas ou transgênicas, é comum o agricultor dessa modalidade reservar parte da produção anterior (no caso de grãos, como o milho, soja, feijão) para ser utilizada como semente nos próximos plantios;
  • A destinação da produção da agricultura extensiva costuma ser o mercado interno. A competitividade fica comprometida tanto no mercado interno como no externo, pois a produtividade e a qualidade dos gêneros produzidos é inferior aos da agricultura moderna;
  • Os agricultores que investem nessa modalidade ficam subordinados às condições naturais. As variações climáticas e o excesso ou escassez de chuvas podem comprometer as plantações. A qualidade do solo e a ocorrência de pragas também são factores determinantes para a produtividade na agricultura extensiva.
  • A produtividade por hectare é reduzida. Porém, a baixa produtividade por área plantada nem sempre representa baixa produção. Quando a ocorrência de chuvas se dá nos períodos esperados, as pragas não prejudicam a lavoura e as condições do solo são favoráveis. Nas grandes lavouras, a produção pode ser alta, chegando a toneladas de grãos.

admin

Leave a Reply

Your email address will not be published.